Placa instalada à margem da rodovia Presidente Dutra proíbe o acesso ao bairro Vila Principal.

Durante a sessão de quarta-feira (19), o vereador Carlos Roberto de Carvalho, o Beleza, solicitou, e o plenário da Câmara de Barra Mansa aprovou, o envio de ofício à Polícia Rodoviária Federal para averiguar a colocação de placa de “sentido proibido”, no acesso ao bairro Vila Principal pela rodovia Presidente Dutra. Em setembro, a concessionária CCR NovaDutra foi oficiada sobre o mesmo assunto, mas a placa continua impedindo a passagem de veículos no local.

De acordo com o vereador, o diretor de tráfego da concessionária alegou que a PRF solicitou a colocação da placa, que vem trazendo diversos transtornos aos moradores e produtores rurais da localidade.

-O coordenador de tráfego da NovaDutra não se propôs a dialogar sobre a questão e afirmou que a placa foi uma solicitação da Polícia Rodoviária Federal. Por isso, requeiro o ofício, para uma averiguação sobre a origem desta placa, que tanto prejudica o bairro Vila Principal e a Fazenda da Grama, que apenas têm este acesso pela Dutra – afirmou Beleza.

Para o vereador, a concessionária está cerceando o direito de ir e vir dos moradores.

- Hoje mesmo (quarta-feira), um veículo da NovaDutra ficou parado em frente a este acesso, socorrendo outro automóvel e impedindo um caminhão carregado de leite de sair do bairro. O caminhão ficou parado cerca de 2 horas, quase estragando o produto. Além disso, as crianças precisam atravessar a pista para pegar o ônibus escolar. Não queremos infringir a lei, mas a empresa tem que dar condições de ir e vir aos cidadãos. O bairro possui moradores, empresas e comerciantes que precisam ser respeitados – alegou o Carlos Roberto de Carvalho.

O presidente da Câmara, vereador José Luiz Vaneli afirmou que o modelo de concessões no país precisa ser revisto, para que beneficie, principalmente, o usuário.

-As privatizações e concessões têm o intuito de estimular o desenvolvimento do país, mas na maioria das vezes, trazem prejuízos para a população. Aqui no município já perdemos empresas e investimentos por não conseguirmos acesso às margens da Dutra, como acontece com os outros municípios. Barra mansa possui o maior trecho da rodovia, entre as cidades da região, e não consegue explorar isso. Outra concessão que prejudica a cidade é a da rede ferroviária. Sempre que solicitamos algo para beneficiar o município, a empresa afirma que o pedido não se encontra no contrato de concessão – criticou o presidente da Câmara.

Ainda sobre as dificuldades impostas pela NovaDutra, o vereador Carlos Roberto de Carvalho apresentou o caso de uma churrascaria que não pôde ser inaugurada porque a concessionária não permitiu o acesso ao local.

- Barra Mansa perde a oportunidade de gerar 150 empregos devido à proibição de acesso a esta churrascaria pela Via Dutra, em um momento de crise, quando há inúmeras empresas  demitindo na região – afirmou o vereador.

O vereador Luiz Furlani lembrou, ainda, da não inclusão do trecho de Barra Mansa na privatização da BR 393, que, segundo ele, também, provoca prejuízos ao município, principalmente em relação à manutenção da pista, que suporta todo o tráfego de caminhões com destino ao nordeste brasileiro.

::: Sessões da Câmara

28 Mar 201707:00PM -
Sessão da Câmara

::: Contato

(24) 3322-2652
(24) 3322-3752