O processo seletivo para contratação de agentes de saúde no município de Barra Mansa foi tema de discussão na sessão de segunda-feira na Câmara Municipal. Os vereadores cobraram que a prova seja realizada com transparência. Para o vereador José Luiz Vaneli, o Leiteiro, a transparência no processo seletivo significa respeito à população.

-Não podemos desmoralizar esta prova e precisamos respeitar quem está se preparando. Esperamos que seja uma prova séria – afirmou Leiteiro.

O vereador Marcelo Borges afirmou que na sexta-feira, 13de novembro, ingressou com um mandando de segurança na Justiça Estadual, para que a prova seja prorrogada e realizada em tempo hábil para a devida preparação dos candidatos. De acordo com o vereador, inúmeras pessoas não conseguiram se inscrever no processo seletivo.

-Muitas pessoas vieram me procurar, questionando que não conseguiam acessar o site da Prefeitura para se matricular na prova e eu mesmo tentei várias vezes acessá-lo e não consegui. Além disso, existem inúmeras falhas no edital, por isso é preciso que a prova seja prorrogada – declarou Marcelo.

Utilizando a tribuna, o vereador Luiz Furlani relatou a representação feita por ele no Ministério Público em razão da falta de medicamentos de alto custo, mesmo quando há ordem judicial determinando o fornecimentos dos remédios. De acordo com o vereador a representação foi motivada pelo depoimento de uma moradora que  ingressou na Justiça para obter medicamentos para seu pai adoecido, mas não conseguiu o devido fornecimento, levando seu pai a óbito.

-A Prefeitura e a Secretaria de Saúde alegam falta de repasse do Governo Federal, mas até 12 de novembro, constam no portal da transparência o envio de mais de 64 milhões de reais para a Saúde de Barra Mansa. Os gestores precisam explicar onde está sendo aplicado este dinheiro, que não pode fornecer medicamentos, quando a Justiça assim determina – questionou Furlani.

::: Sessões da Câmara

Sem eventos

::: Contato

(24) 3322-2652
(24) 3322-3752